Dicas para o cuidador

Vestuário, cuidado pessoal e banho


Banho

A ilustração ao lado apresenta uma adaptação ideal de box para pacientes com Demência em fases intermediárias e tardias. Portas largas, com material inquebrável que podem ser retiradas se houver necessidade. Aparador apenas com objetos de higiene pessoal que serão utilizados durante o banho; barras de segurança para apoio em seu interior; tapete antiderrapante; banquinho ou cadeira para sentar-se, se necessário. Uma alternativa que pode ser utilizada por cuidadoras de pacientes que recusam o banho: o uso do maiô e a proposta “agora vamos a praia”, em alguns casos esta alternativa pode ser útil fazendo com que o paciente aceite o banho sem resistência.

Observando o grau de estresse e desconforto que determinadas situações podem gerar para o familiar cuidador e, por ser uma ocorrência comum, a família deve estar bem orientada sobre o tipo de conduta que deve ser tomada. O paciente deve receber estímulos para ir ao banheiro em intervalos regulares de tempo, por exemplo, a cada 2 horas. Ter seu vestuário simplificado, sem muitos botões, fivelas, cintos ou presilhas. A ingestão de líquidos deve ser feita até às 17h, sendo que após este horário, pequenas quantidades de líquidos devem ser oferecidas apenas para tomar medicamentos. O mais importante, no entanto, é que o cuidador observe diariamente o paciente para perceber precocemente as dificuldades que ele está encontrando para usar adequadamente o vaso sanitário, e auxiliá-lo nestas dificuldades.

Talvez você já tenha vivenciado situações deste tipo. Embora ela possa causar irritação para o cuidador, é preciso que haja entendimento de que para o paciente está tudo certo. Gradativamente, esta pessoa perde a capacidade de crítica e julgamento, e por esta razão, não consegue diferenciar o que está certo e o que está errado. Tente resolver este problema, escolhendo previamente três mudas de roupa, e apresente-as para o paciente perguntando-lhe qual das três ele gostaria de usar. Além de o vestuário ser adequado ao clima e grau de dependência apresentado, dá ao paciente uma sensação de independência, pois a escolha final é dele.

Estimular o vestuário independente é ideal, mas... Pense que prevenir acidentes também! Observe que é difícil para alguém que está perdendo sua habilidade de executar tarefas familiares, como vestir-se. Em alguns momentos, apenas orientar e observar pode não ser suficiente, e neste caso, o auxílio do cuidador(a) é indispensável.


< Anterior        Próximo >

Retornar ao Índice

Instituto de Memória - Núcleo de Envelhecimento Cerebral / NUDEC
Rua Napoleão de Barros, 618. Vila Clementino.
CEP 04024-002 / São Paulo – SP
T. 5576-4848 Ramal 2085
Logo Apsen WebSite Desenvolvido por:
BemStar.com.br e SiteCommerce.net